22 de out de 2015

Nos pequenos detalhes

Nunca imaginei que minha mãe dedicaria tanto ao meu casamento. Cada detalhe pensado e executado por ela não poderia ter outro resultado a não ser que tudo ficasse incrível!

Vamos começar pelo porta aliança. Acho que foi a primeira coisa que ficou pronta e ela gastou, tipo, 5 minutos pra fazer.

Eu tinha visto em um site uma vez um porta alianças de ninho de passarinhos e eu achei a ideia muito fofa principalmente para compor um casamento no campo. Tinha tudo a ver! Eu falei pra ela em um dia e no outro estava pronto.

Eu até encontrei uns vídeos do dia que ela fez, mas ela foi tão rápida que eu só filmei depois que já estava pronto, então se alguém quiser saber como foi feito, deixa um comentário aqui que eu faço um vídeo explicando :)


Outra coisa que eu piiiirei foi no meu buquê. Gente, pelo amor de Deus, como que ela fez isso??



Eu não fui uma noiva chata, juro. Na verdade eu nem sabia que existia escolher a flor do buquê e tal. Então eu pedi um buquê verde e branco e me inspirei nessas fotos:




E aí ela me aparece com essa perfeição! Não porque é minha mãe, mas eu achei muito lindo!



Tá, mas não foi só isso... O enfeite das mesas também foi ela quem fez:


E o arranjo de cabelo e o buquê das minhas damas, me inspirando nessas fotos:


Com esse resultado!


E os quadros que recepcionavam os convidados foram escritos por ela!



Nu! Acho que lembrei de tudo...


Esse post foi pra mostrar que tudo fica lindo quando se tem cuidado, carinho e dedicação. Dá pra fazer um casamento dos sonhos sem gastar uma fortuna.

Vocês podem se inspirar em muitos detalhes, mas só vai ficar lindo assim se tiver uma mão de mãe igual a minha =)


Créditos também para a Marília, manicure da minha mãe que ajudou muito na parte das flores em geral!

19 de out de 2015

Making Of

Já tenho quase cinco meses de casada, mas o assunto ainda não me cansou. O nosso álbum de casamento ficou pronto essa semana e cada vez que revejo as fotos as lembranças acendem minha memória e me da vontade de falar mais.

Outra coisa que me encantou e também saiu do jeito que eu esperava e imaginava foi a produção: vestido, make e cabelo.

Eu escolhi a Beauty at Home pra fazer minha produção, e as meninas fizeram o acompanhamento além do casamento, também das fotos de estúdio (save the date).

O trabalho da Fernanda consiste em atender a cliente no lugar que ela desejar. E gente, isso é muito prático! No dia das fotos no estúdio a Fê foi pra minha casa, me arrumou no conforto do meu lar, rs. E no casamento foi a mesma coisa. Ela e a Mari (rainha dos cachos), foram pra casa da Tia Jô e adaptaram tudo para me atender. Eu, minha mãe e minha irmã. O que rendeu fotos lindas do making of!





Para casamento, eu não sou muito adepta daquela maquiagem que deixa a gente com outra cara, sabe? Olho muito preto, tudo muito carregado não era o que eu queria. Acho que a maquiagem mais natural deixa tudo mais bonito porque realça a beleza que você já tem sem inventar nada que não seja seu. E as fotos ficam mais bonitas porque captam a verdade em cada olhar.




Além da make básica, queria um cabelo clássico. Bem princesa! Queria que o arranjo ficasse como uma coroa. A minha inspiração foi essa foto:


E acho que funcionou...




Já o vestido seguiu a mesma linha do clássico e simples. Eu não queria rendas nem brilho demais e como eu disse num post anterior, foi amor a primeira vista. Eu não queria cauda, nem um véu longo porque como o casamento seria no campo, achava que precisava ser algo mais leve. E minha mãe disse que não ia ficar esticando meu véu (já que não teríamos cerimonial) kkkkk

O vestido foi escolhido na Zephora Alta Costura. Pra mim, a loja mais indicada principalmente para noivas. Sem o risco de surpresas desagradáveis.






Ah! A sandália foi de uma loja daqui de Divinópolis mesmo, Mariana Sulem. A Mariana fez personalizado pra mim o modelo que eu escolhi na cor branca. E ficou perfeita! Não tirei do pé até o final da festa. Escolhi um salto grosso pra ficar beem confortável. A escolha não poderia ter sido melhor.



Bom, estes foram os detalhes do making of do casamento. Super indico todos os profissionais que participaram e vou deixar os contatos aqui em baixo:

Beauty At Home (Fernanda): (37) 99927-0435 @beautyathomebr
Zephora Alta Costura: (37) 3222-8919
Mariana Suelem: (37) 3214-5654/ 3213-1578

Espero que gostem de mais detalhes do casamento da Pretas e do Amaral, e o próximo post apresenta mais detalhes feitos pela maior responsável pra que tudo saísse perfeito! A MAMÃE =)

Até mais.

18 de out de 2015

Caso Mia

Pausa no assunto casamento para falar de um outro secundário, mas não menos importante.

Desde sempre eu e o Tiago pensávamos em ter filhos logo. Era um "combinado", que assim que passasse o casamento e as euforias de uma nova vida a dois partiríamos para a segunda etapa.

Assim que casamos, na primeira semana, decidi adotar a Mia, uma gatinha vira-lata muito especial. Desde o início ela apresentou alguns problemas de saúde que tomavam muito meu tempo e rendiam várias visitas ao veterinário.

A Mia foi adotada com 3 meses e meio de vida e veio com uma diarreia crônica causada pela intolerância à ração de filhote (à um componente existente nela, né). Como eu não imaginava que uma gatinha vira-lata pudesse sofrer dessa frescurinha, testei 3 rações diferentes até desconfiar que o problema não era a marca e nem o sabor, era a ração de filhote e seus componentes.

Ração trocada, problema resolvido.

Mas nesse meio tempo ela ainda tomou probiótico por 7 dias para reconstituir a flora intestinal e melhorar a absorção de nutrientes que estava prejudicada por causa de 4 meses com diarreia.

Eu sempre tive gatos em casa e estava acostumada com o desenvolvimento deles, e mais acostumada ainda com um gata angorá que deixei na casa da minha mãe que tem a cara do tamanho da minha. Então a Mia sempre chamou minha atenção na magreza e na miudeza. Ela era um cisco! Mas eu achava que à medida que fosse crescendo ia encorpando, principalmente depois que viesse a castração. E principalmente depois que o probiótico fizesse efeito e seu organismo voltasse a absorver tudo de saudável.

Mas antes que isso fosse possível, comecei a perceber comportamentos estranhos dela, principalmente por ser um gato. A Mia levou três tombos feios em uma semana. E aí em um domingo a noite, ela foi subir no meu colo de uma alturinha de nada e caiu... E demorou um pouco para levantar. A minha crise de choro foi instantânea. Eu sentia que tinha algo errado.

Levei ao veterinário e descobrimos uma bactéria, baixa imunidade e uma anemia severa. Antibióticos, desidratação, internação, mais exames, mais remédios... Foram 20 dias de cuidado extremo e dedicação integral. 20 dias de muito remédio naquele corpinho frágil e sem nenhuma gordura.

Fui acompanhando a piora da Mia com o coração doendo sem ter o que fazer. A incontinência urinária veio, e com ela uma casa suja e um sofá com cheiro de xixi de gato. Mas que importância isso tinha? Eu me desprendi de todas frescuras de recém-casada em prol da saúde da Mia.

E aí, no dia 11/09, com mais uma consulta agendada pras 11h, porque eu já tinha visto no olhar dela que algo não ia bem, a Mia morreu às 10h30. Ela não aguentou esperar, seu corpo não suportou mais e ela cumpriu (muito bem) o seu papel na minha família.

E diante disso, acho que vocês conseguem entender que eu não relacionei o "caso Mia" com o fato de querer ter filhos atoa.

A Mia me deu tanto trabalho, tanta preocupação! A minha rotina foi adequada às necessidades dela. Gastei um dinheiro que talvez eu compraria algo pra mim, ou pro meu marido, ou pra minha casa... Mas foi com ela que eu gastei. Gastei dinheiro e gastei tempo. Gastei tempo e gastei energia...

Mas ela me deu tanto amor! Me deu (de presente mesmo) a paciência que eu não tinha, a tolerância que era uma palavra estranha dentro do meu vocabulário. Me ensinou a perceber a fraqueza do outro e mais, a me sensibilizar com ela e me colocar à disposição no que eu puder ajudar.

Nunca vai existir uma igual, principalmente por ser uma gata, ela era diferente, e pra quem acredita nessas coisas, eu acho que ela veio com um propósito e foi embora com a missão cumprida. Eu e o Tiago agradecemos todos os dias pela Mia, ou pela "Berenice", porque era assim que ele a chamava.